A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Home / Regiões / Brasil / Bolsonaro amplia vetos à lei das máscaras e desobriga uso em presídios

Bolsonaro amplia vetos à lei das máscaras e desobriga uso em presídios

Os presídios superlotados são locais propícios para a disseminação do vírus. Mesmo assim, Bolsonaro desabrigou o uso de máscaras

O presidente Jair Bolsonaro ampliou a lista de vetos à lei que trata da obrigatoriedade do uso de máscaras como medida de proteção contra o novo coronavírus. O novo veto dispensa a exigência da proteção em presídios e unidades de cumprimento de medidas socioeducativas. As mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (6).

O presidente também retirou a necessidade de órgãos, entidades e estabelecimentos afixarem cartazes informativos sobre a forma de uso correto de máscaras. Também não será preciso informar o número máximo de pessoas permitidas ao mesmo tempo dentro do estabelecimento. A medida visava evitar aglomerações.

O Distrito Federal e o estado de São Paulo decretaram a obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços públicos. O descumprimento da norma é, inclusive, sujeito a multa. Porém, inexistia até então uma legislação nacional sobre o assunto.

A palavra final cabe a deputados e senadores, que podem derrubar os vetos presidenciais e retomar a redação original aprovada por Câmara e Senado. A derrubada do veto depende do voto da maioria absoluta dos deputados e senadores, ou seja, 257 votos de deputados e 41 votos de senadores, computados separadamente.

Na sexta-feira (3), Bolsonaro já havia vetado trechos importantes da lei, como a obrigação de uso de máscaras em locais como igrejas, comércio e escolas. Ao justificar a decisão, o presidente disse que a obrigatoriedade de uso de máscaras nesses casos poderia implicar violação de domicílio.

Ele também retirou a obrigação de estabelecimentos comerciais de fornecerem de forma gratuita máscaras aos seus funcionários, assim como, desobrigou o poder público de fornecer equipamentos de proteção à população vulnerável.

O presidente Bolsonaro é crítico a medidas adotados por governadores e prefeitos como forma de evitar a disseminação do coronavírus, como o fechamento de escolas e do comércio. Ele mesmo já foi visto em locais públicos sem máscara, inclusive em ocasiões em que provocou aglomerações. A Justiça chegou a tentar obrigar o presidente a usar máscara, mas a Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu e conseguiu derrubar a decisão.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e outras autoridades sanitárias recomendam o distanciamento social e o uso de máscaras como as medidas mais eficazes na prevenção da doença, que já infectou 1.603.055 milhão de pessoas e matou quase 65 mil no Brasil, conforme os últimos dados do Ministério da Saúde.

Fonte: Congresso em Foco

Além disso, verifique

TSE adia prazos eleitorais em 42 dias após mudança na data das eleições

Um comunicado do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, publicado na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *