A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Home / Regiões / Brasil / Se depender de Bolsonaro, chefe da Secom não será afastado

Se depender de Bolsonaro, chefe da Secom não será afastado

Fábio Wajngarten deve continuar na chefia da Secom, com aval do presidente Bolsonaro. “È um excelente profissional”, justificou

O presidente Jair Bolsonaro indicou nesta quinta-feira (16) que Fabio Wajngarten vai continuar na chefia da Secretaria de Comunicação (Secom), mesmo após a denúncia de que ele é sócio de uma das empresas beneficiadas pelos contratos da Secom.

“Se for ilegal, a gente vê lá na frente. Mas, pelo que eu vi até agora, está tudo legal com o Fabio. Vai continuar, é um excelente profissional”, afirmou o presidente, ao ser questionado sobre o assunto na manhã desta quinta-feira.

Bolsonaro havia ficado incomodado com a repercussão negativa da denúncia publicada pela Folha de S.Paulo nessa quarta-feira (15). Depois da reportagem que mostra a ligação da empresa de Wajngartem com os contratos da Secom, ele chegou a cancelar uma entrevista e convocar uma reunião para tratar do caso. Nesta quinta, porém, minimizou a situação.

O presidente alegou que, se o seu secretário de Comunicação fosse “um porcaria igual alguns que têm por aí”, “ninguém estaria criticando ele”. Bolsonaro ainda disse que não responderia à pergunta do jornalista que questionou se, na opinião do presidente, Fabio Wajngarten deveria ser afastado da sua empresa, que mantém contratos com a Secom.

Bolsonaro ainda usou a entrevista desta quinta-feira para voltar atacar a Folha de S.Paulo. Ele chamou o jornal de “lixo”, que não publica nada positivo sobre o governo. E foi apoiado pelos eleitores que acompanharam a conversa com os jornalistas na saída do Alvorada.

Caso realmente continua no governo mesmo após a denúncia que pode configurar conflito de interesses segundo alguns especialistas, Wajngarten não será o único alvo de suspeitas abrigado pelo governo de Jair Bolsonaro. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, por exemplo, continua na Esplanada mesmo depois de ser denunciado por conta das candidaturas laranjas do PSL – problema que, por outro lado, acirrou o racha entre Bolsonaro e o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar.

Psol vai à Justiça

O Psol entrou nesta quinta-feira (16) com um pedido (íntegra) na Justiça do Distrito Federal solicitando o afastamento imediato de Fabio Wajngarten.

“Protocolamos na Justiça do Distrito Federal uma ação exigindo imediata demissão de Fábio Wajngarten, que recebe dinheiro de emissoras e agências contratadas pelo governo Bolsonaro através da FW Comunicação e Marketing, da qual tem 95% das ações. Basta de corrupção!”, disse o líder do partido na Câmara, Ivan Valente.

Ao Congresso em Foco, Valente defendeu que o publicitário precisa ser afastado imediatamente. “Ele realmente tá utilizando a maquina pública pra ganhar recursos. Ele tem disponível uma verba imensa, e a empresa dele participa desse processo”, afirmou.

Congresso em Foco

Além disso, verifique

Dorinha propõe aumento gradual de recursos do Fundeb até chegar a 20%

Um pedido de vista coletivo adiou para março a votação do relatório de deputada Professora …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *