A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Home / Regiões / Brasil / Projeto da Câmara quer tornar nepotismo indicação de parentes para ministério ou embaixada

Projeto da Câmara quer tornar nepotismo indicação de parentes para ministério ou embaixada

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) dá entrevista coletiva sobre sua possível indicação para a embaixada nos EUA
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) dá entrevista coletiva sobre sua possível indicação para a embaixada nos EUA – Pedro Ladeira – 11.jul.19/Folhapress
Articulação une direita e esquerda e vem na esteira da indicação de Eduardo Bolsonaro para Washington

Em meio à polêmica da indicação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos, a comissão de trabalho tentará votar na próxima quarta-feira (14) projeto que torna nepotismo indicar parentes para cargo de ministro ou embaixador.

O relator da proposta, Kim Kataguiri (DEM-SP), incluiu em seu voto uma emenda à lei dos servidores públicos. Segundo o texto, fica proibido “a nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau” para cargos de ministro e chefe de missão diplomática permanente.

A articulação envolve partidos de espectros políticos opostos: à direita, estão Kim e os parlamentares do Novo e, à esquerda, a presidente da comissão de trabalho, Professora Marcivânia (PC do B-AP).

Segundo ela, o texto deve ser pautado na próxima reunião deliberativa do colegiado, na próxima semana. “Acho que vai ser aprovado sim. É algo que a sociedade reivindica”, afirmou.

Ela nega que se trate de uma retaliação à nomeação do filho do presidente Jair Bolsonaro para o cargo em Washington.

Kim também afirma não se tratar de um recado ao governo. “Eu apresentei o relatório porque acabou meu prazo e tinha de apresentar. Sendo um bom projeto, decidi ampliar”, disse à Folha.

Já o coordenador da bancada do Novo na comissão, Tiago Mitraud (MG), afirmou que “de certa maneira, é sim uma reação”. “Não estou entrando no mérito de se o Eduardo tem capacidade de exercer o cargo, mas não acho que o presidente deveria poder indicar o filho para embaixador ou ministro”, disse.

Caso seja aprovada, porém, a lei pode virar alvo de questionamentos jurídicos. Isso porque na legislação vigente, o presidente da República é livre para escolher embaixadores e ministros, que são cargos políticos.

Após a indicação de Eduardo ser confirmada oficialmente pelo presidente, caberá exatamente ao Senado aprovar ou não seu nome para assumir o posto.

O nepotismo é regulado no Brasil pela súmula vinculante número 13, adotada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em 2008, e pelo decreto 7.203, de 2010. Além disso, a lei 8.112 de 1990 trata da proibição de contratação de parentes por servidores. É este texto que o projeto na Câmara pretende alterar.

Para Kim, a mudança na lei é constitucional. “Meu voto trata da súmula, e usa os mesmos fundamentos constitucionais que o STF usou. Em nenhum momento o acórdão diz que lei não pode vedar nepotismo para cargo político”, afirmou.

Angela Boldrini
BRASÍLIA

Além disso, verifique

Katia Abreu (To)

‘Produtores que estão alegres hoje vão chorar amanhã’

  Katia Abreu (PDT-TO), senadora Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO Para ex-ministra da Agricultura, discurso de Bolsonaro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *