A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Home / Empreendedorismo / Altos preços praticados pela Gol no Tocantins fazem bancada federal recorrer ao Cade

Altos preços praticados pela Gol no Tocantins fazem bancada federal recorrer ao Cade

Representação contra a Gol Linhas Aéreas assinada pelos oito deputados federais e três senadores do Tocantins foi protocolada nesta segunda-feira, 8, Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A bancada federal tocantinense pede que a empresa volte a praticar os preços de passagens aéreas do primeiro trimestre do ano passado, acrescidos de correção da inflação via Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M); e a abertura de processo administrativo para apurar possível infração contra a ordem econômica.

Na tabela da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o preço médio do trecho Palmas-Brasília no primeiro trimestre de 2018 estava em R$ 214 contra R$ 470 do mesmo período deste ano – um aumento de 120%. Já um estudo no site da Gol mostra que os preços praticados em Palmas para Brasília tem quilômetro voado até quatro vezes mais caros que cidades como Macapá, Rio Branco, Porto Velho, Presidente Prudente, Marabá e Santarém, todos do mesmo porte que a capital tocantinense. Com base nestes levantamentos que a representação foi apresentada

Autor da representação, o deputado federal Tiago Dimas (SD) afirma haver muitos indicativos de que a Gol usa a rota de Palmas para se recuperar de prejuízos em outras linhas aéreas. “Infelizmente, ao que parece, nós tocantinenses estamos sendo usados e explorados”, frisou o parlamentar ao destacar que o governo do Tocantins reduziu o ICMS para o combustível da aviação em até 11 pontos percentuais (de 14% para 3%) e esse benefício precisa ser devolvido para a população.

 

Além disso, verifique

471966_1000

Executivo e Judiciário assinam convênio para audiências por vídeoconferência

Na manhã desta segunda-feira, 14, o governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, e o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *